mais sobre mim mesma

crescemos ouvindo depeche mode e procurando pedacinhos de letras nos encartes de vinis do megadeth, colecionando lápis com barrachas coloridas na ponta e recortes de revista, esperando fotos de filmes de 36 poses serem reveladas, correndo de bicicleta por entre calçadas dos bairros vizinhos, abrindo caixas com fitas vermelhas no dia de natal, lendo escondido a agenda do irmão mais velho, escrevendo os sonhos mais simples em folhas decoradas de caderninhos perfumados, desenhando à caneta azul letras gordas e divertidas, telefonando ansiosos um para o outro para contar como passamos o dia, escondendo embaixo do cobertor quando a chuva cismava em cair. crescemos sempre imaginando como seria a vida dali a alguns anos.

e agora que chegamos até aqui, nada mais é como antes. e nada será melhor como é a cada instante que se vai. assim como tudo na vida.

Anúncios