tempo

olhei as horas no relógio redondo cinza, aumentei o volume do pequeno rádio amarelo. percorremos ruas estreitas sem fim dividindo o fone de ouvido e contando casos e caos típicos de noites que se passam feito densas nuvens amarelas de outono. manhãs secas, dias compridos. sempre queremos mais quando tudo está bem. e está realmente tudo no lugar onde deveria estar. assim encontro todos os dias os melhores motivos para respirar e enfim, corrermos mais. todas as minhas cores se encontram perfumadas, num vai-e-vem desconexo. olho ao redor e me encanto com os vermelhos, desejo mais verdes e espero tranquila pelo azul. ouviremos aquela nossa música, riremos de todas aquelas pequenas cenas de filmes antigos e então nada mais vai importar.

Anúncios