fashion victim

já fiz alguns planos para me conter diante de tantas coisas bonitas. as vitrines são muito reluzentes, resistir a elas é quase impossível quando se é menina. há profissionais especialistas em deixá-las ainda mais atrativas para fazer nossos olhos brilharem, é como se aquele produto fosse fabricado somente para mim – ou o famoso “caiu como uma luva”. posso dizer que sempre tive a preocupação em poupar gastos, mesmo gostando muito de acessórios, roupas e tudo-quanto-é-coisa, mas mesmo assim a moda peça a gente de jeito e a mania (e a vontade) de ter acumular acontece. já traçei diversos planos de ação, desde “esquecer” o cartão de crédito na gaveta por semanas até largar as idas às boutiques preferidas por muito tempo. foi o famoso fingi que não vi e pretendo não ver tão cedo. mas o mundo é muito grande, consumir revistas e catálogos é um hábito e, mesmo que não as compre, um exemplar aparece à minha frente, seja via amiga, seja voando pela janela do carro (o mundo das mulheres tem dessas coisas, acredite).

fato é que autocontrole é algo que se adquire com o tempo mesmo. só a idade traz a calmaria e a sabedoria, gente, não tem simpatia (palavra velha!) que adiante. lembro-me bem de que qualquer evento barato que acontecia (lê-se pizza com suco no boteco da esquina de casa com os amigos) era pretexto para comprar uma blusinha, uma bolsa e um jeans, quem sabe… e assim a vida ia. essa semana tive o prazer de começar o mês sem dívidas de parcelas referentes a roupas e isso me tranquilizou bastante. tenho dois eventos importantes vindo por aí – um casamento e um aniversário – e em ambos terei boas roupas. ótimo, sinal de que estou com um bom acervo, me manterei sem gastos e sem desespero.

vi peças lindas em lojas idem. mas já tenho tantas coisas que a velha pergunta “eu preciso disso?” agora surte efeito real na hora de encarar a boca do caixa. não quero acumular mais e mais peças de moda, mas reinventar as que tenho. foram muitos os anos aperfeiçoando a arte de comprar e, agora, sim, aprendi, sem causar danos.

Anúncios