mais um adeus

falar sobre o que não temos domíno é mesmo difícil principalmente quando passamos por uma semana particulamente chata. muito aconteceu nos últimos dias e queria poder contar grandes feitos meus mas infelizmente a vida das pessoas que amo foram afetadas por questões delicadas. e quando elas ficam tristes, claro, eu também fico. falar sobre morte nunca se é fácil e não sei ao certo como fazer. ela rodeou as últimas semanas e enviou sinais como que me contando silenciosamente que estava por vir mas, vai saber, o dia certo e o sujeito da frase nunca é dito até que aconteça de vez. até que a notícia veio por telefone. instantânea, corajosa, sem delongas. uma vida inteira sem desfez como que em um segundo. mais um perda para um ente querido. um pai de família. um melhor amigo. um jovem. há menos de uma semana ele esteve aqui, na minha casa, na comemoração de aniversário do meu irmão. feliz, tudo perfeitamente normal. e, hoje, já não faz mais parte desse mundo. como entender a morte? nunca o farei. deixou o lucas, de apenas 2 anos, e não conhecerá o felipe, que ainda está na barriga da mãe. injusto? não sabemos. a vida segue seu curso misteriosamente. só nos resta acreditar que ela tem seus próprios princípios e que, no fim, tudo deve ser por um bem maior. é o que deveria ser, pelo menos. um alento ao meu irmão que, em menos de um ano, perde mais um grande amigo.

Anúncios