por hoje

hoje o dia amanheceu atípico.

não cronometrei o tempo nem corri para escovar os dentes. passei um pente no cabelo, peguei o casaco pendurado no cabideiro rumo à porta. não desenhei, não telefonei. a maioria dos meus desejos se perderam por entre os afazeres, nada parecia ser empolgante. começos podem ser maçantes; recomeços, impossíveis.

hoje não planejei o que fazer.

não encontrei a bolsa nem o anel preferidos. comi uma maçã verde, carreguei a mochila cinza esquecida no chão do andar de cima. não conversei, não gargalhei. todos os meus ânimos se foram por entre os dedos, nada traria expecitativas. amizades podem ser uma farsa; família, a única saída.

Anúncios