onde encontro meu refúgio

natasha nicholson

o refúgio está na encosta do mar, lá onde as ondas mais calmas cobrem as conchinhas cor de palha. nas pontas dos pés da bailarina mais graciosa pouso meus olhos, ávidos por descanso. numa tarde de folga, sem nada pra pensar. o refúgio encontrou lar nas palavras rascunhadas por lápis no canto do papel sem pauta, na estação de rádio fm com as baladas mais antigas que meus ouvidos podem reconhecer sem vacilar. no enlaço do carinho encontrei o meu refúgio, um daqueles todos, que arquivo na gaveta pintada de azul vibrante, requisitada a cada emoção compartilhada, sentida, espalhada. seu refúgio pode estar na música mais alta, na rua mais agitada, nos amigos menos silenciosos, detalhes não importam; basta se sentir livre, se sentir vivo.

Anúncios