carta aberta para a eternidade

alex turton

já nomeei alguns como amor pra toda a vida – mesmo nem sabendo o que é amar alguém de verdade. eu já amei um ursinho, uma música, um ano, dois filmes, o aniversário e um ator de cinema – esses continuam se mantendo como eternos, não há como perdê-los. e é por isso que meu espelho me diz que tenho alguma porcentagem de fraude nesse rolo todo em que me envolvo ao falar sobre o amor.

todos os meus finais vieram da falta do amor. todo o amor que distribuí tinha cores que se perdiam na primeira gota de acetona que espirrava bem no centro da paleta. todo o amor que dizia sentir valia por algum curto tempo que se perdia no primeiro táxi que tomava para a festa de arromba da semana. todo o amor que achei ter encontrado foi apenas a reprodução fiel dos livrinhos ilustrados de princesas. por muitos anos fui aquele impulso maluco que a gente deixa a vida inventar, por muitos anos copiei histórias perfeitas para todos os nós dois que tive por aí.

momentos de amor é o que tive. e isso é muito pouco para o amor da minha vida. tenho histórias guardadas em potes com o respeito que merecem – e as lembranças devidamente catalogadas: está tudo muito bem organizado e dissecado para ser o amor que tenho a capacidade de sentir. porque o amor da minha vida não vai me ver estirando lágrimas pelas dores egoístas da minha juventude, ele vai ter o privilégio de conhecer a minha tristeza genuína. ele não vai me ver perdida em memórias batidas, vai compartilhar as reais lembranças, daquelas dignas de descrição no livro mais vendido do ano. ele vai arrancar o sorriso que já existe há tempos dentro de mim, daqueles latentes, largos, livres.

eu espero que o amor da minha vida encontre a mariana mais bonita, a que vai deixar seu coração se levar de verdade nos braços do alguém; a que não vai se proteger a cada cinco minutos porque sabe muito bem como tudo funciona – e morre de preguiça das coisas mais comuns que presencia a todo instante; a que não se preocupa como está se sentindo, que aceita sentir qualquer coisa que for porque assim aconteceu; a de hoje e a de ontem, que aprendeu que a solidão é uma fonte de importantes descobertas quando se quer amar alguém de verdade um dia.

o amor da minha vida vai merecer esse título por ser real, por deixar aquelas marcas que representam o mais simples e óbvio amor. eu espero que você faça o que quiser, do jeito que quiser, o que tiver que ser feito. que você vá onde quiser ir, com quem puder, com quem escolher, com quem se encontrar. que você sintonize sua maior loucura à minha, que você combine seu desastre ao meu. que seja real. que fique somente o tempo que tem que ficar. que esteja por perto porque quer assim estar. que seja humano. que seja só o que você sempre foi e sempre quis ser. eu só espero, do fundo de todos os meus sentimentos mais puros, que o amor da minha vida exista. que fale apenas o necessário e que eu acalme todos os meus instintos mais loucos que me fizeram chegar até aqui tão firme, tão sincera, tão… real.

e só quero que você não demore mais para chegar. por mais que eu te procure pelas cidades gigantes, por mais que eu te espere pelas noites inesperadas, por mais que eu saiba, bem no fundo, que você está aí em algum lugar, querendo apenas dividir os seus dois filmes eternos comigo, qualquer dia desses.

Anúncios