dos caminhos que trilhamos

jason cawood
94175034

eu escolhi dizer sim há muito tempo. disse sim para mim quando encarei o medo e enviei uma carta escrita à caneta bic verde água para o menino da 6ª CL. quando eu calcei uma galocha roxa, saí chuva afora e bati a campainha só para dar um abraço. quando eu liguei, com a voz trêmula, para chamar um cara pela primeira vez na vida pra sair comigo. quando eu pedi, totalmente sem jeito, por um beijo. quando eu contei, com lágrimas nos olhos, que eu não havia esquecido do tombo que levei de patins na pista de cooper do bairro. quando eu tomei chocolate quente vendo comédia romântica enquanto toda a cidade estava na esbórnia.

eu digo sim para mim quando assumo as fraquezas mais escondidas que sinto presas dentro do meu peito. quando eu perco o que eu mais desejo por sentir mais amor do que segurança, do que força, do que maturidade. do que todas as palavras que representam a racionalidade. a estratégia. o jogo. o prazer pelo prazer. e dói muito dizer esse monte de sim. dói simplesmente porque esse é o sim que representa algum não para as outras pessoas. escolher dizer sim só me faz ganhar. mas para ganhar tem que se entregar. e na entrega eu tenho que aceitar os dias que vêm, os dias bons e os nem tão bons assim.

por todas as vezes que eu não pedi um beijo de despedida, não acenei a mão, não disse que estava apaixonada, não sorri, não agradeci pela companhia, não abri a porta e fui até lá, eu peço perdão. perdão para mim mesma. porque por mais que haja desencontros, por mais que eu não receba flores, por mais que o encantamento já quase não exista no meu novo mundo o importante é acreditar. é tentar. é colar recortes de papel jornal. é colorir as minhas pálpebras cada dia de uma cor. é mais que importante continuar acreditando. porque sem isso eu sou apenas um par de pernas ambulante que anda pra lá e pra cá sem saber onde será o meu lugar.

………………………………………………………..
♪ para ouvir lendo ● beautiful – marillion

Anúncios