sobre pontos finais

remar o barco sozinho, quando há dois lugares sendo ocupados, é muito frustrante. você vê o remo da outra pessoa ali, jogado no chão aos seus pés, e somente o seu em ação, indo bem fundo na água doce do rio. um rio por vezes profundo, estreito e com a água bastante agitada. fazer sozinho o trabalho de dois é tarefa árdua. ingrata. e muito errada. é ter que fazer acontecer. ter que se dedicar a um sonho único. este é um caminho solitário que, bem da verdade, não é para ser seguido. depois de um tempo, com muitas histórias a dois vividas, a gente passa a perceber que todas as pessoas procuram por alguém que o acompanhe em sua vida. e isso é algo que para alguns acontece de primeira mas para outros é realmente muito difícil de rolar. e então isso se torna uma busca eterna para essa cota de muitos. porque ser companheiro implica em dedicação. dá trabalho mesmo. é quando você sente que tem muito mais vontade de fazer dar certo, de querer seguir em frente, de estar ao lado de alguém do que todo o resto. eu sei bem o que ter uma vida cheia, mas também sempre soube bem adicionar pessoas à minha agenda. questão de interesse, né. é aí que você aprende que tudo na vida se baseia na vontade que as pessoas sentem. no trabalho, a vontade de evoluir; na família, a vontade de cuidar; no amor, a de estar perto de você. de fazer dar certo, de querer seguir adiante, de estar junto. é a vontade que faz com que as coisas aconteçam. sem vontade você é apenas um cara que manda muitas mensagens virtuais bonitas mas que não traz alguém para viver ao seu lado de fato. conciliar vidas muito diferentes já é uma insanidade por si só, eu sei disso. principalmente vivendo em um mundo em que somos condicionados a pensar somente em nós mesmos. todos nós queremos satisfazer vontades, preencher vazios. mas só os nossos, na maioria das vezes. raramente vem à tona, de forma natural, a preocupação com o outro e o que também querermos fazer por ele. por isso a vida é uma eterna busca, em todas as nossas áreas. hoje eu já não espero mais pelo ritmo do outro. muito menos fantasio com a ideia de que meus esforços trarão uma companhia para o bar com os amigos, o filminho do sábado a noite, o café da tarde. hoje acredito que racionalizar o coração é muito importante para que eu mesma entenda quais são os meus reais momentos de busca e quais são os que momentos de mergulho sem medo. durante toda a vida, ouvimos muitas regras, muitos conselhos, muitos amigos querendo nos ajudar em meio ao tiroteio que é conhecer alguém novo e se apaixonar sem certezas nem pedidos. depois de muitos lencinhos embolados, a gente aprende que é preciso pensar menos e analisar friamente o que funciona para nós mesmos, afinal, quem leva seus sonhos para o travesseiro, todas as noites, é somente você. sozinho com a sua fome de viver. é impossível preencher seu coração com um amor que é encontrado no vazio.

.………………………………………………………..

♪ para ouvir lendo ● wait for me – kings of leon

foto: cassia beck
Anúncios