como foi voltar a me apaixonar

eu me apaixonei fulminantemente. e foi assim, sem grandes pretensões. como sempre chega. como sempre é. às vezes a vida se torna quieta e a gente até esquece o que é querer pensar em alguém. pensar em escrever um bilhete, em mandar uma imagem de nuvem, em comprar paçoquinha cremosa, em marcar alguém em um post divertido do facebook. sabe, eu estava assim, sem saber como era gostar de alguém há muito, muito tempo. pra mim foi muito tempo mesmo. o meu coração estava embrulhado em papel com cheirinho de pão doce, adormecendo bem profundamente. e sonhando. sonhando alto e avante. e era bom. eu me sentia invencível. eu vivia os dias com muita confiança, entusiasmo e tranquilidade. foi então que aconteceu. exatamente tudo aquilo que eu evitava com afinco há 365 dias nesse soninho de dar gosto: eu quis muito um alguém. um belo dia – na verdade madrugada de carnaval – eu senti uma pontinha de flecha me pegando de jeito. aquela mesma, do fantasmagórico cupido. a partir dali, tudo mudou pra mim. a cada palavra enviada, a cada carinho recebido, a cada plano de final de semana dito eu me via em um estado estupidamente empolgante. sabe aquele raiozinho amarelo que indica energia? então, este é o símbolo que representava meus olhos, minha boca, minha mente. e se engana se você acha que eu fui só na emoção… eu não fui, não. eu pensei. e muito. às vezes o tempo todo. hoje eu sei que quando a gente fica sozinho de verdade, o medo de gostar de algum menino é bem grande. muito grande. que nem monstrinho de cinema. paixão é amor com medo. uma vontade bem desengonçada de amar que tem seu pé puxado o tempo todo pelo medo. voltar a apaixonar me fez ter dias de muita alegria, peito cheio de disposição, lábios vermelhos. dias de ansiedade no whatsapp na sexta, euforia por imaginar muitas, muitas coisas, lágrimas em perceber que, bem, o meu amor+medo não era lá tão correspondido assim. voltar a me apaixonar me fez enxergar que pode acontecer de as nossas intenções não baterem com as do outro e isso dói um bocado. dói pra caralho na verdade. mas voltar a me apaixonar me fez enxergar uma mariana edição super nova. bem mais esperançosa por assim dizer. afinal, se eu consegui voltar a me apaixonar agora, sei que posso me apaixonar mais uma vez. e agora eu também voltei a sonhar. sonhar que talvez da próxima eu me apaixone por alguém que, por favor, queira colecionar nuvens de verdade junto a mim e não aquelas de mentirinha.

.………………………………………………………..

♪ para ouvir lendo ● changes – david bowie

foto: cassia beck
Anúncios